Quer ser seu próprio patrão? 7 dicas para começar o próprio negócio

começar o próprio negócio

Empreender pode ser uma opção de empregabilidade. Cada vez mais brasileiros procuram uma oportunidade de começar o próprio negócio. Criei algumas dicas básicas para ajudar a clarear a mente de quem pretende iniciar um negócio.

Quer ser seu próprio patrão? 7 dicas para começar o próprio negócio

Um em cada três brasileiros tem vontade começar o próprio negócio e isso tem se tornado crescente a cada ano. Os brasileiros já estão no topo da lista dos mais empreendedores do mundo de acordo com a pesquisa do SEBRAE 2012, o Brasil já está em terceiro lugar no mundo com maior número de empreendedores. Se você começou a pensar em empreender algumas dicas podem ajudar a ter uma visão mais clara sobre como e onde empreender.

1 – Tenha bem definido o motivo pelo qual você deseja começar o próprio negócio

Começar o próprio negócio pode ser desafiador e decepcionante, mas conseguir um emprego também não é algo fácil e não existe estabilidade, como muitos acreditam, em ser um colaborador. Empresas fecham e abrem a todo o momento, colaboradores são demitidos num piscar de olhos e recolocar-se no mercado pode ser uma tarefa tão difícil quanto começar um negócio.

Muitos começam o próprio negócio simplesmente porque não acharam espaço no mercado de trabalho, são os empreendedores por necessidade. Isso é excelente se você tiver caraterísticas empreendedoras, mas pode ser ruim se você não tiver, pois, em breve você sentirá saudades de ter somente um patrão e não vários, pois, como empresário cada cliente é um patrão.

Se você pensa em empreender somente para ser dono do próprio nariz, cuidado, pois, ser empresário não é nem de longe ser dono do próprio nariz, você como empresário prestará contas a clientes, fornecedores e colaboradores. Eu mesmo muitas vezes sinto que o “empregado” sou eu, pois, muitas foram as vezes que paguei toda a folha de pagamento e eu mesmo fiquei sem nada.

Agora se te empolga à ideia de fazer a diferença no mercado, oferecer um serviço ou produto de qualidade, se você fica feliz quando serve e realiza os desejos dos clientes internos e externos, que ótimo você está no caminho certo. Ganhar dinheiro é consequência, para ter um empreendimento de sucesso é preciso antes de tudo gostar do que faz, senão acredite você vai abandonar o barco antes de chegar às águas calmas do oceano empresarial, se é que elas existem. O lado bom é que ser dono do próprio negócio de modo geral te traz em longo prazo uma liberdade financeira muito maior que sendo um colaborador. Eu mesmo acredito que se estivesse no mercado de trabalho não seria contratado para ganhar um terço do que ganho.

 2 – Escolha bem o tipo de negócio

Primeiro entenda que não é preciso reinventar a roda, mas sim fazê-la rodar. A maioria dos empreendimentos abertos no Brasil não são invenções ou inovações, são negócios comuns de mercado, tais como padarias, salões de cabelereiro, pizzaria, etc.

Será de grande vantagem competitiva você começar o próprio negócio, dentro da área de atuação que você trabalha. Você terá muito mais chance se fizer algo em que possui experiência prática e não teórica. Isso também não impede de entrar em outra área, mas será preciso estudar muito mais e ter um período de adaptação.

Estude de perto quem faz o que você quer fazer. Isso vai te ajudar muito.

 

3 – Criar um Plano de Negócios Simples

 

 Uma das coisas que me ajudaram muito em minha jornada como empreendedor foi ter tido que fazer um plano de negócios quando participei do projeto Iniciativa Jovem da Shell, que me concedeu o selo empreendedor Sustentável. Confesso que eu sempre achei que seria uma besteira ter tudo escrito teoricamente no papel e que na pratica não seria igual. Eu estava certo em parte, na prática é diferente, mas um plano de negócio te faz abrir a mente, quando você começa a colocar no papel, percebe quanta coisa você não havia pensado. Além disso, um plano negócio é um norte, caminho, roteiro, que mesmo que mude te dará um caminho a seguir. Poderá haver desvios, mas com um mapa, fica bem melhor caminhar rumo ao objetivo final.

Sugiro também que este plano de negócios seja bem curto e com base nele você crie um plano de ações, pois, sem isso você corre o risco de ficar só no plano de negócio, que irá para uma gaveta e nunca será usado na prática.

4 – Defina seu público alvo

Não tente abraçar o mundo com as pernas. Determinar exatamente quem são seus clientes, onde eles estão qual a classe econômica deles e tudo mais que poder saber sobre os mesmos, te fará ter muito mais sucesso. Toda a imagem de seu negócio será muito mais bem percebida e recebida por seu público se ele for bem pesquisado, delimitado e definido. A publicidade terá muito mais efeito e será mais barata quando direcionada ao máximo para o seu público. Se você é milionário pode colocar um anuncio no horário da novela das oito na TV Globo e atingir o Brasil, mas isso custará caro e você estará desperdiçando muito dinheiro que poderia ser usado em anúncios mais direcionados.

Se meu público, por exemplo, é de mulheres um anuncio em uma revista exclusiva para o público feminino pode converter muito mais clientes que o anuncio na TV. Acredite quantidade não é qualidade.

 

5 – Ter controle obcecado sobre custos.

Antes de começar o próprio negócio preveja bem todos os custos de produtos. Pode parecer incrível, mas muitas empresas amargam prejuízos e vão à falência, pois, lançam produtos e serviços que não dão lucro. Faça estimativa muito bem feita de todos os custos envolvidos. Quando terminar descubra como diminuir 20% dos custos, sempre é possível reduzir 20% de custos. Lembre-se que o custo de um produto inclui tudo, exatamente tudo, envolvido no funcionamento da empresa. Muito erram, pois, calculam somente os custos envolvidos diretamente no produto ou serviço, esquecendo-se dos custos indiretos.

 

6 – Chegar ao break-even (equilíbrio financeiro)

Aquele momento que é sonho de quem está começando um negócio, o momento em que as saídas de recursos financeiros, se igualam as entradas. Nós somos costumeiramente otimistas quando o assunto é previsão de vendas, então deixo minha dica: Quando realizar a previsão de seu faturamento, coloque no papel e divida por dois (risos) melhor contar com menos e ser surpreendido que superestimar o faturamento e descobrir que vai quebrar.

Outra pergunta que você deve se fazer é: Quanto tempo eu consigo sobreviver senão faturar um centavo (capital de giro)?

Se for pegar dinheiro siga esta ordem de opção:

1 – Dinheiro da família

2 – Dinheiro de amigos

3 – Sócio investidor

4 – Empréstimos bancários (última opção, pois, é o recurso mais caro).

 

7 – Vender

Quem é o vendedor número um de sua empresa? Você e sempre será você. Então estude sobre vendas, pois, você sempre estará vendendo.

Onde você vai procurar seus clientes? Como vai aborda-los? Quais técnicas de vendas vai utilizar? Pense bem em tudo isso.

Não tem dinheiro para marketing? Faça como eu fiz no começo, pegue uma lista telefônica e comece a vender, serão dezenas ou centenas de nãos, mais um sim recebido valerá todo o esforço e o sorriso brotará de seu rosto. Só conheço uma forma de vender mais, é oferecer a um maior número de pessoas possível. Telefonar pode ser quase a custo zero.

Perca a vergonha e venda.

Espero que tenha gostado. Críticas, sugestões, reclamações e indicações são sempre bem vindas.

 

Grande abraço e até o próximo artigo.

Ricardo Veríssimo

Palestrante e Escritor

www.ricardoverissimo.com.br

Gostou deste artigo? Quer ler mais sobre ser um pequeno empreendedor. Leia meu livro 20 Regras de Sucesso do Pequeno Empreendedor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *