Carreira, liderança e Kryptonita

Carreira, liderança e Kryptonita[Carreira e Liderança] – Muitas pessoas não se tornam líderes de sucesso, pois, estão focadas em corrigir suas deficiências e não maximinizar suas forças. O que o Super Homem faria?

Carreira e liderança – Quando você perde tempo olhando e focando em suas deficiências e tentando corrigi-las, você não está certo, mas quando você foca no seu maximinizar no que você é melhor aí sim você está certo, pois, tentar ser o melhor em algo que você tem predisposição a ser fraco, você está perdendo tempo precioso. Agindo assim o máximo que você conseguirá é ser o melhor dos piores.

Até o Super Homem sabe qual é sua fraqueza, que é a kryptonita e não perde tempo tentando corrigir e sim em esconder. Então baseado nos quadrinhos, te deixo a primeira dica: Não conte para ninguém suas deficiências, esconda-as, ou seja, não perca tempo demais tentando corrigir e sim em não deixar que as pessoas tomem conhecimento delas e use-as contra você.

Seja o herói de sua carreira! Aceite suas deficiências.

O primeiro passo para crescer é aceitar suas deficiências.

No que você é bom?

Descubra o que você gosta de fazer, mas não só isso descubra se você também é bom no que gosta. Só gostar ou só ser bom, não é o suficiente, você precisa juntar os dois se quiser ter sucesso e ser um grande líder. Quem já assistiu show de calouros na tevê? Acho que todos nós né? E lembra que sempre tem alguém que adora cantar, mas é visível que ela não tem o menor talento? Não digo nem em ser afinado, pois, houveram cantores de sucesso desafinados (falarei novamente mais na frente disso), mas porque não tinha talento para cativar pessoas, presença de palco e carisma.

Você pode não ser “afinado na função de líder”, mas se as pessoas lhe acompanham (assistem), ou seja, se você tem audiência, liderados, você pode ter uma carreira de sucesso. Se por outro lado ninguém te acompanha e compartilha de suas ideias, anseios e metas, você está no lugar errado. Ser bom também não basta, é preciso gostar do que faz. Eu darei meu exemplo, detesto contabilidade (nada contra a profissão ou profissionais excelentes da área), eu só não gostava. Por ser filho de contadores, aprendi junto com os brinquedos, saber o que era um débito e um crédito. Em determinada fase de minha carreira, por precisar de emprego e o único que apareceu foi na contabilidade, eu fui trabalhar como auxiliar contábil e me sai tão bem que fui parar na auditoria contábil, fui gerente financeiro.

Ouvi muita gente dizer que eu era bom naquilo, mas eu detestava e quando você detesta algo, mas cedo ou mais tarde você vai desmotivar e tudo vai ser feito de má vontade e má vontade destrói o desempenho e sem desempenho rapidamente você vira um profissional medíocre. Eu passei por isso.

Não confunda fazer certo com fazer bem.

Fazer certo é diferente de fazer bem. Fazer certo é ser assertivo, não errar. Levando para o lado de caráter, fazer certo tem haver com o conceito de certo e errado e o que é certo para mim, pode não ser para você. Fazer bem tem haver com talento e talento sim muda carreira e equipes. Exemplo: Eu posso fechar um balanço contábil sem nenhum erro e ele estará certo, mas se eu levei um ano pra terminar, será que eu fiz bem? Fazem bem sai de nós e vai para o geral, pois, precisamos de aceitação de terceiros, precisamos de avaliação de desempenho. Quem é líder não pode pensar em o que bom ou bem feito sobre sua ótica e sim sobre a ótica da equipe e da organização. Tem que ser bom para todos.

Lembra-se do exemplo de cantores? Raul Seixas, por exemplo, era desafinadíssimo, não cantava certo, mas cantava bem, pois tinha aceitação do público. E então era um sucesso. Além disso, ele gostava do que fazia, logo, não era um fardo e era extremamente motivador para ele cantar. E você anda fazendo bem ou fazendo certo?

Ótimo x Bom

Muitos profissionais não se destacam, pois, caem na zona onde nada acontece, pois, omitem o fazer acontecer, pois, esperam ser ótimos em algo para executar. Não pense e não haja assim, pois, sempre haverá alguém melhor que você no que você faz, senão há agora (caso você seja um reconhecido melhor do mundo nisso e figurar o GUINESSBOOK), um dia haverá. Então se contente em ser bom, agir, praticar, melhor e quem sabe ser ótimo no futuro.

O melhor da equipe

Perguntem em uma empresa se as pessoas acreditam que fazem na maior parte do seu tempo à função em que são melhores e a resposta lhe surpreenderá. Elas lhe responderam que gastam pouco de seu tempo fazendo o que elas acreditam serem melhores.

Seu papel como líder é colocar as funções e tarefas nas mãos dos melhores, juntando o que as pessoas fazem de melhor com o que precisa ser feito da melhor forma possível. Fazer isso requer avaliar e principalmente perguntar. Você sabe em sua equipe o que cada um faz de melhor? O que eles se acham melhores? O que a equipe toda acha de melhor uns nos outros? Então aí vai minha dica de ouro em liderança: Descubra os melhores nas pessoas e use em prol da equipe. Todos ganham assim.

Algumas coisas pra você pensar e praticar para finalizarmos:

  • O que eu acho que sou bom?
  • O que as pessoas me dizem que eu sou bom?
  • Será que posso focar, estudar, treinar e ser melhor ainda?
  • Se você não pode ser o melhor de todos, seja diferente.

Sabem como eu me tornei palestrante? Vocês acham que eu sabia que era bom nisto? Não, não sabia e não era. Mas alguém um dia me disse que eu era bom e devia investir nisso, e aconteceu, eu treinei e treino e me tornei um palestrante nacionalmente conhecido. E você sabe mesmo no que você é melhor?

Gostou deste artigo? Já pensou em ler meu livro sobre Carreira e Liderança? Acesse>>>>>

Grande abraço e suce$$o.

Ricardo Veríssimo

www.ricardoverissimo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *