O mercado vegano e suas oportunidades de empreendedorismo

O mercado vegano tem um alto ticket por compra, um público classe econômica A, B, poucas empresas atuantes em várias cidades e muita, muita oportunidade para quem pensa em entrar no segmento.

Um mercado com poucas empresas atuantes e um número de consumidores que aumenta ano após ano, nos últimos tempos, é uma oportunidade e tanto para quem deseja empreender, claro e evidente que assim como qualquer negócio existem dificuldades também, mas entrar em um mercado com grande procura de produtos e pouca oferta, é uma matemática que rende excelentes lucros.

Dados da Sociedade Vegetariana Brasileira, informam que existem no Brasil cerca de 240 restaurantes vegetarianos e veganos, temos também restaurantes e lanchonetes de fora deste segmento, porém que ofertam pratos vegetarianos e veganos. O mercado mundial tem crescido e isso reflete também no Brasil. No Reino Unido, houve crescimento de 360% no número de veganos no país entre 2005 e 2015. Nos Estados Unidos, o número de veganos dobrou em 6 anos de 2009 a 2015. Também aumenta cada vez mais a presença de produtos do segmento nos supermercados, onde já é possível encontrar muitas opções de produtos cárneos ou lácteos, como nuggets, presuntos, quibes, coxinhas, salsichas, linguiças e até mesmo sorvetes vegetarianos e ou veganos.

Existe um aumento proeminente de produtos e serviços para o público vegetariano e vegano, conforme comprovam as pesquisas de mercado recentes elaboradas por grupos como Mintel (http://www.mintel.com/global-food-and-drink-trends-2016) e pelo Baum & Whiteman International Food Consultants (http://www.baumwhiteman.com/2016Trends.pdf) e Yahoo Food Trends.

O grande problema é que existem poucas opções ainda para um universo de consumidores, Nos Estados Unidos, a estimativa da Vegetarian Resource Group é que cerca de 7,5 milhões de americanos adultos não comem carne. A pesquisa ainda aponta que 13% evitam comer carne em metade de suas refeições. No Brasil de acordo com a pesquisa do Ibope, temos no Brasil cerca de 16,5 milhões de pessoas que se declaram vegetarianas.

Se você quer entrar no mercado vegano, precisa entender também que nem todo o vegetariano é vegano e que de todo esse mercado, somente uma parte é especificamente vegano. Vegetariano é alguém que não come carne animal, sua alimentação baseia-se em grãos, sementes, vegetais, cereais e frutas, com ou sem o uso de laticínios e ovos. Eles evitam, qualquer alimento que tenha causado a morte de um animal. Os vegetarianos excluem o uso de todas as carnes animais, incluindo também o peixe.

O vegano por sua vez, digamos que é mais radical, ele evita qualquer produto ou serviço que possa impactar no sofrimento animal. Sendo assim ele não consome ou usa qualquer produto de origem animal não só da alimentação, mas também da roupa, dos produtos de higiene, dos detergentes. O vegano também não tolera qualquer serviço que explore os animais como touradas, zoológicos, pescaria, caça, etc. Assim como produtos testados em animais. O vegano vai muito além de ser uma forma de se alimentar, é uma forma de vida, um jeito de pensar e viver.

Logo, se você quer empreender neste segmento abra sua mente, não estamos falando somente de alimentos, estamos falando de uma gama de produtos e serviços voltados ao mercado que vive este estilo vegano de viver. Eles possuem uma série de demandas não atendidas e muitas vezes se veem quase obrigados a comprar algo que fere seus princípios, por total falta de alternativa.

Ricardo, mas o que eu devo fazer para saber se devo criar um produto ou serviço para esse público?

Segue algumas dicas:

– Conhecer o público – Esse é o primeiro e mais importante passo, também é quase que imperioso que você seja ou tenha uma pessoa vegana no controle direto do negócio, diferente de outros negócios, esse público não compraria ou faria negócios com alguém que não pratica o estilo de vida que eles praticam. Eles não comprariam de alguém que viram comendo em uma churrascaria, feriria o estilo deles e não geraria credibilidade.

– Mensurar a quantidade – Esse é outro fator importantíssimo, é saber se sua região ou em seus arredores, existem vegano suficientes para alimentar seu negócio. Existem regiões onde já existem vários negócios de alimentação vegana e poucos veganos.

Pensar vegano do chão ao teto – É preciso pensar como vegano na hora de montar seu estabelecimento, nada que seja contra a cultura vegana deve ser usado em sua estrutura. Tudo deve ser sustentável, pois, os veganos são sustentáveis e preocupado com o planeta. Logo economizar energia, água, reciclar lixo, tudo deve ser ao máximo reaproveitado.

– Ofereça comodidades – Você está lidando com um público com alto poder aquisitivo, que gosta de facilidades e qualidade no atendimento, logo ter serviços básicos de qualidade é obrigação e mais que isso oferecer serviços como opção de delivery ou entrega, muitas opções de testar seu produto, ver, sentir o produto ou serviço que você oferece é importante. Mime seu público e ele será um defensor e divulgador de seu produto.

Pense em comunidade – Pense em comunidade, toda a ação de marketing deve ser direcionada. Seu público está conectado e eles são adeptos a divulgar novas opções de produtos e serviços que eles acreditam estarem de acordo com sua forma de vida. A forma vegana de ser.

Você deve vestir a camisa e sacudir a bandeira – Seu público espera que além de ser um vendedor de produtos ou serviços veganos, que você procure atrair novos adeptos, bem como estar preparado a atender os simpatizantes da causa, aqueles que estão em busca de uma vida mais saudável e querem experimentar algo do gênero.

Tenha um plano de negócios e um plano de ação – Sou da velha escola do empreendedorismo, e sim acredito em plano de negócios. O sonho só sai do papel se estiver antes escrito nele. Um papel em branco abre a mente, mas sem nada, entrega nada. Escreva seu plano de negócio e além disso escreve uma ação para cada planejamento. Plano deve ser vivo, plano sem ação, é igual chupar bala com papel. Sem gosto e sem resultado.

 

O mercado vegano foi considerado por muitas fomentadoras de empreendedorismo, como um dos negócios mais propensos ao sucesso em 2018. Eu acredito nisso também e vejo o mercado com excelentes olhos. Vejo um público louco por produtos e serviços e poucas opções, principalmente em cidades fora do eixo das metrópoles. Todo o produto ou serviço que traz em seu dna algo além do próprio produto, ou seja, produtos e serviços que abraçam uma causa maior, são sucesso garantido, assim mostra o mercado.

O mundo está mudando, o mundo hoje quer mais que produtos e serviços, está buscando conceitos, estilos, formas de se diferenciar da manada que segue um sistema falido e vencido. As pessoas não querem mais do mesmo. Diferenciar é a palavra-chave. Pense nisso.

Fonte das pesquisas: https://www.svb.org.br/vegetarianismo1/mercado-vegetariano

Grande abraço e até o próximo artigo.

Ricardo Veríssimo

Palestrante e Escritor

www.ricardoverissimo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *